Reforma na previdência é essencial para Clésio Andrade

Aprovada recentemente pela Câmara dos Deputados, a reforma da previdência é considerada essencial para garantir a saúde das finanças da previdência nacional no futuro. Poucos empresários e líderes civis tiveram a coragem de sair em defesa da reforma, já que esse é um tema sensível e que, invariavelmente, tira mais votos do que atrai. Mesmo assim, o presidente da Confederação Nacional do Transporte, o ex-senador Clésio Andrade, saiu em sua defesa.

Reformar a previdência é ser responsável para Clésio Andrade

Clésio Andrade

Para Clésio Andrade, é preciso que seja feita uma reforma contundente das regras previdenciárias atuais. Caso o governo continue a agir de forma populista, empurrando a reforma com a barriga, o risco de falência do sistema no futuro próximo é iminente.

“Também temos que definir modelos inteligentes de custeios, prever alguns mecanismos compensatórios para contribuintes PJ intensivos de capital. Por exemplo, a desoneração da folha de pagamento do transporte tem que continuar. As empresas transportadoras não conseguem pagar a Previdência em função da quantidade de funcionários, até porque desestimula a geração de empregos”, comenta Clésio Andrade.

O ex-senador defende também que a assistência social, como o bolsa família, seja desvinculada do setor previdenciário, além do fim das aposentadorias diferenciadas, como a dos políticos, e também o estabelecimento de uma idade mínima para se aposentar.

Líder sindical durante toda a vida e um dos defensores, ainda na década de 80, da criação do vale-transporte, o ex-senador Clésio Andrade defende que o governo não pode se dar ao luxo da renúncia da obrigação de pensar no longo prazo, por mais impopular que isso seja. É preciso coragem.