Reforma na previdência é essencial para Clésio Andrade

Aprovada recentemente pela Câmara dos Deputados, a reforma da previdência é considerada essencial para garantir a saúde das finanças da previdência nacional no futuro. Poucos empresários e líderes civis tiveram a coragem de sair em defesa da reforma, já que esse é um tema sensível e que, invariavelmente, tira mais votos do que atrai. Mesmo assim, o presidente da Confederação Nacional do Transporte, o ex-senador Clésio Andrade, saiu em sua defesa.

Reformar a previdência é ser responsável para Clésio Andrade

Clésio Andrade

Para Clésio Andrade, é preciso que seja feita uma reforma contundente das regras previdenciárias atuais. Caso o governo continue a agir de forma populista, empurrando a reforma com a barriga, o risco de falência do sistema no futuro próximo é iminente.

“Também temos que definir modelos inteligentes de custeios, prever alguns mecanismos compensatórios para contribuintes PJ intensivos de capital. Por exemplo, a desoneração da folha de pagamento do transporte tem que continuar. As empresas transportadoras não conseguem pagar a Previdência em função da quantidade de funcionários, até porque desestimula a geração de empregos”, comenta Clésio Andrade.

O ex-senador defende também que a assistência social, como o bolsa família, seja desvinculada do setor previdenciário, além do fim das aposentadorias diferenciadas, como a dos políticos, e também o estabelecimento de uma idade mínima para se aposentar.

Líder sindical durante toda a vida e um dos defensores, ainda na década de 80, da criação do vale-transporte, o ex-senador Clésio Andrade defende que o governo não pode se dar ao luxo da renúncia da obrigação de pensar no longo prazo, por mais impopular que isso seja. É preciso coragem.

Reformas: ex-senador Clésio Andrade defende reformas propostas por Temer

O ano terminou com a aprovação da PEC do Teto e a aprovação parcial da PEC da Previdência. A reforma política e a reforma previdenciária, temas sensíveis, foram evitadas pelo governo FHC, Lula e Rousseff. Em seis meses de trabalho, Michel Temer conseguiu votar e aprovar dois temas extremamente sensíveis para a sobrevivência financeira e administrativa do país.

Ex-senador Clésio Andrade defende reforma da CLT e previdência

Ex-senador Clésio Andrade

Segundo o ex-senador Clésio Andrade, presidente da Confederação Nacional do Transporte, o próximo passo deve ser a reforma trabalhista. A flexibilização da CLT e a renúncia de alguns itens dela são essenciais, pois deixam a relação entre funcionário e empregador mais customizáveis, o que será melhor para o trabalhador e economia. Reformar a CLT e o sistema tributário, para Clésio Andrade, são as condições mínimas para o país retomar o crescimento.

“No curto prazo, o país precisa criar condições para a retomada dos investimentos, da geração de empregos e do equilíbrio das contas públicas. Por isso, as reformas trabalhista e previdenciária são urgentes e devem ser discutidas pelo Congresso. Se assim não for, a crise deve se aprofundar, trazendo consequências ainda mais graves para o setor produtivo e para a sociedade brasileira em geral”.

Ex-vice governador e ex-senador, Clésio Andrade conhece os meandros do congresso e também o impacto da política nos rumos financeiros da administração pública. Enfrentar problemas e hábitos ruins é essencial. Foi com seu choque de gestão que Aécio Neves, de quem Clésio Andrade era vice, reconstruiu Minas Gerais.